Alegre Populista?


A Campanha das Presidenciais 2011 está a terminar. Com ela, alguma saturação nossa. Esta tem sido uma Campanha um tanto feia, cheia de ressabiamentos, de recalcamentos e frustrações políticas e de muito Populismo. O Populismo que agora parece ser a 'norma' na vida política, um pouco por todo o mundo, pela Europa em particular, onde o expoente máximo, ou mais conhecido é o de Berlusconi, em Itália, esteve nestas eleições bem presente, de forma um tanto transversal. Quase atingindo todos os candidatos, mas em particular Fernando Nobre e, com frequência, Manuel Alegre.

O Populismo, com frequência uma forma de estar e de fazer política, mais do que uma qualquer corrente, ou contra-corrente, não 'escolhe' 'esquerdas' ou 'direitas', mas antes, usa de uma atitude demagógica de fazer as coisas. Usa o 'Medo' dos eleitores e prefere as épocas de crise ou de tensão. Nobre foi Populista em toda a campanha. Não sabemos ainda se é intrinsecamente Populista.

Mas não foi o Populista que mais preocupações nos pode ter trazido. Pelo menos aos que, de nós, nos preocupamos com a nossa vida nacional, política, social e económica. E com os que, de nós, tentamos ler os sinais das novas tendências e do que o futuro nos pode trazer. O problema do Populismo de Esquerda, num país assolado durante cinco décadas por uma Ditadura pessoal conservadora, vista como de 'Direita' (lembro que...não partilho uma visão dicotómica, direita-esquerda, da política e da sociedade, visão que 'nasceu' em 1789...e não pode continuar a querer persistir como sendo actual e moderna. Tem de ser revista, em minha opinião) é o perigo de um saudosismo com esse mesmo passado e a sombra de poder ressurgir no futuro, precisamente o que não deve ser o desejo maior dos 'de esquerda'... populismo

O candidato que mais e demagogia trouxe a estas eleições, foi Manuel Alegre. Ameaçou e amedrontou, ou assim pretendeu, com o fantasma de um perigo de 'Direita': o perigo de o candidato Cavaco Silva poder vir a dissolver a Assembleia da República e podermos vir a ter uma maioria governamental 'de direita' (mas quem diz que o PSD é de direita? Na Madeira, Alberto João Jardim instaurou ao longo dos anos o regime mais à esquerda que Portugal conhece e conheceu. O Governo está em tudo e tudo determina. Um regime altamente subsidiado, onde a presença do Estado se verifica em todos os sectores de actividade) e um Presidente da mesma área política. Profundamente demagógico e populista. Quer Manuel Alegre dizer-nos que se ele ganhasse e o PS continuasse no poder, seria melhor e... menos perigoso, ou sem perigo para a Democracia? Mas o PS de Sócrates só nos tem dado provas do contrário...!!! Com Sócrates, o 'chefe' de Alegre, assistimos à perseguição e despedimento de jornalistas, que o incomodavam, porque não partilham a mesma opinião do 'Chefe'. A intolerância socialista estende-se a tudo: professores perseguidos por manifestarem opiniões diversas da de Sócrates e do Ministério; instauração de novos organismos policiais, dependentes de Sócrates; criação de organismos de vigilância e atribuição de carta profissional, como com os jornalistas; colocação em empresas privadas, cujo primeiro cliente é o Estado, de amigos e filiados do PS (BCP, EDP, PT, TVi, etc); arquivamento de processos judiciais ainda em fase de investigação, onde o seu nome, ou de algum amigo aparece ou por alguém é mencionado; despedimento com intenção de queimar o 'nome' do Seleccionador Nacional de Futebol, porque este discordava do Secretário de Estado e do Presidente do Instituto do Desporto (mais um organismo fantoche, totalmente inútil); processos de escutas e vigilância de adversários políticos...

Com Sócrates, apoiante número um de Alegre, os atentados à Democracia e à Liberdade foram-se sucedendo e nunca terminaram. Mesmo à vista de todos. Com total descaramento, como recentemente com o Procurador Geral da República e o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça. Uma mão cheia de pessoas amigas do PS, ou declaradamente PS, que constituíram a nova Nomenklatura socialista, à vista de todos. O próprio Sócrates é o político português com mais características perigosamente populistas que surgiu após 1974. Basta vê-lo aos berros e insultos na AR.

Que Alegre seja um pseudo-poeta medíocre e ínfimo, problema dele. Mas não foi dos piores deputados do PS na AR. Tem sido um homem reconhecido pela sua chama de amigo da liberdade individual. Não me parece que se lhe possa apontar uma mancha de corrupto, como a tantos nas fileiras do PS e de outros Partidos (PSD incluído). Pode-se, acho, dizer-se dele que, embora medíocre e fraco em termos políticos e intelectuais, e de inteligência mediana, não é alguém de quem possamos acusar de desonestidade. Desonestidade prática e praticada. Mas de honestidade intelectual...optou por manchar a sua campanha. E a troco de quê? De assim perder estas eleições de forma inglória? Manchado por um populismo ridículo e anedótico, apenas por que Sócrates lho impôs?

Com pode um homem honesto e simples, com uma carreira longa e de certa forma 'limpa', deixar-se levar nestas baixezas populistas e anti-democráticas?


  • " Esta é uma luta de vida ou de morte para a democracia nacional, tal como ela está na Constituição" (mas é Sócrates o pior inimigo da Democracia, quem não sabe lidar com a diferença de opiniões e até impôs na RTP programas com destacados membros do PS, pelo que chamou de direito ao contraditório);
  • "A direita tem um plano para ficar com o poder todo" (não é verosímil, mas é-o claramente para a esquerda, tal como Sócrates tem demonstrado);
  • Pela primeira vez desde o 25 de Abril as forças conservadoras querem o poder todo" (mas as forças conservadoras, clássicas, anacrónicas, agarradas a um mundo que já não existe, onde o Estado interfere em tudo e tudo determina, até a forma de pensar e de expressão política, qual URSS e China...essas forças estão no PS. Que, precisamente, quer o Poder Todo- com Sócrates a perpetuar-se no poder e Alegre, qual bobo sim-sim, a deixa-lo a praticar todo o género de crimes políticos e económicos, como até agora!);
  • "A democracia será mutilada (expressão bem ao gosto dos populistas de direita, pró-nazis, e de esquerda, por toda a Europa...o medo sobre os eleitores, tal como Hitler o fez quando ganhou eleições...) e os direitos políticos ficarão enfraquecidos" (já o têm sido com Sócrates, oh Alegre! Abra os olhos!);
  • "Será uma luta desigual e terrível, esles estão unidos, organizados e têm os seus comentadores bem distibuídos a falar e a escrever pelo guião" (Não...Alegre não se referia aos conhecidos jornais e órgãos de comunicação, e aos jornalistas socialistas que desde Soares, Guterres e agora ainda mais, Sócrates têm sido colocados, como amiguinhos, nos conhecidos órgãos (Diário de NOtícias, Tvi, RTP, TSF, Lusa, etc). Alegra usava de mais uma conhecida estratégia populista e muito perigosa. Berlusconi ainda hoje usa esta técnica...
Alegre não se dá conta de estar a ser usado por um Sócrates sem escrúpulos ou princípios, e despudoradamente anti-democrático, agora apoiado num comunista maoista que é o Bloco de Esquerda? Como é possível ele não ver?

Domingo, veremos então a resposta do povo a este populismo barato e que começa a ser perigoso...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Leituras recomendadas

Parece normal

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz