Estranha forma de ver a política...

Leio e ouço um pouco, por todo o lado e em geral, esmagadoramente, as opiniões são favoráveis a um PSD de Pedro Passos Coelho e à sua posição quanto aos últimos acontecimentos politicos: a discussão e aprovação do Orçamento de Estado para 2011. Muito favoráveis, as opiniões que leio e ouço, sobre a atitude de Passos Coelho de não adiantar nada sobre a sua posição quanto à aprovação do OE, antes de o mesmo ser entregue e discutido, como deve. Independentemente de este OE ser um tanto independente, passe o pleonasmo, de quem estivesse no Governo. Mas há muito que Sócrates nos habituou às suas mentiras e omissões, pelo que é fundamental esperar pela apresentação do documento, como é aliás normal. Ou aprova-se um contrato e assina-se, sem o ler? E este OE não é um contrato qualquer.

No geral, e de forma esmagadora os portugueses são favoráveis a Passos Coelho e ...favoráveis à demissão e desvanecimento de Sócrates, o pior político de sempre na história da Democracia portuguesa.

Mas há quem aproveite para tentar fazer política 'menor', ao pretender 'descobrir' incongruências no discurso político de Passos Coelho, como as de já ter dito coisas distintas do que agora diz...

Lembro que a Crise é nacional e nada ou pouco tem a ver com a internacional (a banca e o imobiliário não foram nem a causa, nem foram afectadas em Portugal, como noutros países, mas apenas fomos afectados por via indirecta, obviamente, dependentes que são hoje todas as economias ocidentais).

Lembro que esta crise foi provocada pelo PS e, em particular, pelas políticas de Sócrates e de Teixeira dos Santos (com as suas visões Salazaristas e anacrónicas, de tudo resolver com aumento de impostos, tal como Salazar o fez no passado).

Lembro que este OE é da responsabilidade do Governo e do PS que o suporta. E que a crise, bem mais forte do próximo ano, é também responsabilidade do Governo. Nunca do PSD ou de qualquer Partido da Oposição.

O PSD nada tem a ver com esta crise ou com a que aí vem. Nada tem a ver com  as mentiras de Sócrates em momento de eleições legislativas no passado, nem com as omissões e enganos, por incompetência, que levam a que há poucos meses antes do Verão tudo fosse suficiente e agora já não o serem... e por a Despesa ter disparado (pois...porque ainda escondem que foram obrigados à verdade, a alguma apenas, pela Alemanha e pelo Banco Central Europeu e União Europeia...).

Tentar fazer jogos sobre as falsas incoerências de Passos Coelho, que tem sido exemplar, na totalidade, na gestão deste 'caso do OE 2011' é muito triste e baixo, num país em que o importante é grave demais: a miséria e empobrecimento generalizados, o aumento do fosso entre ricos e pobres, a asfixia económica e financeira, a estagnação económica e social. E isto, esta situação recessiva que perdurará por vários anos, mínimo de três anos e, provavelmente de cinco ou mais, porque impostos elevados, costumam vir para ficar é da exclusiva responsabilidade da dupla Sócrates-Teixeira dos Santos.

Nada de enganos, que, aliás, não conduzirão a nada. E basta de desculpar Sócrates. O PS devia ser o primeiro interessado em ver-se livre deste medíocre líder que o levará a muitos e longos anos de culpabilidade e, talvez...de oposição.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Parece normal

Leituras recomendadas

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz