Nem consigo imaginar as horas de dor e enorme vazio, a tremenda solidão, que sentem todos aqueles que, no recente sismo na Ásia perderam ou se perderam de entes queridos, família e amigos.
Calcule-se os sentimentos de pânico de quantos se encontram vivos tentando procurar os seus mais queridos, sem nada saber, muitas vezes tratando-se de filhos menores, perdidos... e isso já é algo, nestas circunstâncias, bem animador, se pensarmos na alternativa... a de não estarem perdidos, e não se saber deles... Posted by Hello

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Leituras recomendadas

Parece normal

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz