Farmácias, um Negócio


As farmácias. O melhor negócio de loja que se conhece. O único negócio que não se reconhece a sim mesmo como tal, mas como um 'serviço', qual 'misericórdia' ao nosso serviço...

O Presidente da Associação de Farmácias, João Cordeiro. Um homem pouco consensual, aparentemente, apenas? Um homem pouco cordato? Um homem que apenas defende, implacavelmente, os seus associados? Ou um Presidente de uma verdadeira Corporação que não tem razão de o ser, num Estado de Direito?

Sócrates, o 'Robin dos Bosques' dos 'utentes' (detesto este termo que pretensiosamente nos afasta do conceito, e direitos, como clientes, nos cola a uma coisa qualquer de direitos embotados e reduzidos, nos manipula e amputa de razões de direitos), ou melhor, dos clientes das farmácias? Ou alguém que ainda detém o supremo poder de, com um simples telefonema, uma negociação secreta e algumas concessões pouco claras, fazer acalmar os ânimos ao 'feroz' João Cordeiro?

Da primeira vez, há uns anos, era a fúria incontida do Presidente dos negociantes, comerciantes, das farmácias, contra o Governo, quando da perda de exclusividade na propriedade das ditas. Rapidamente, porém, a fúria desvaneceu-se e...nunca mais se ouviu nada sobre o assunto. Que aconteceu? Que recebeu em troca o Presidente das Farmácias, e os seus associados? Aliás o que o Governo fez, de inteira justiça, foi ainda assim de grande acanhamento e diminuta coragem: em Espanha numa mesma rua é frequente verem-se duas ou três farmácias. Rua, sim e não... localidade. Já que em Portugal, se pretende manter o corporativismo saloio e desleal para os clientes, não permitindo mais do que um certo número de farmácias por habitante e, mesmo assim este rácio nunca foi cumprido. O resultado: preços bem mais elevados do que em Espanha (30 a 50% mais) em média e muitas pessoas, com problemas e incapacidades reais, quase sem possibilidade de se deslocarem a uma farmácia, por serem sempre muito poucas e sempre demasiado longe. Protege-se a corporação e desrespeitam-se os clientes.

Não tenhamos dúvidas: ter uma farmácia não é ter um serviço. É ter o melhor negócio, de TODOS, os que a 'lojas' ou estabelecimentos comerciais respeitam.

E agora o assunto do Hospital de Santa Maria. Num dia, João Cordeiro insulta Sócrates e diz ir apresentar um dossier denunciador da situação do 'negócio' das farmácias hospitalares. No dia seguinte... pede desculpa. E agora...o assunto está, mais uma vez...a agonizar, até à sua morte total.

Houve mais um telefonema do Sr. Primeiro ministro ao Sr. João Cordeiro?

Gostaríamos de saber...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Leituras recomendadas

Parece normal

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz