Há 25 anos... inflectiu-se o progresso do país

Há vinte e cinco anos morreram Francisco Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa, num brutal atentado que fez interromper uma inflexão irreversível na vida política nacional, e num futuro mais auspicioso para todos nós.

Quem os matou, ou mandou matar sabia bem da ameaça pessoal que representavam, pela sua qualidade individual intrínseca, que tinha toda a sabedoria, inteligência e coragem necessárias à mudança que, evidentemente não interessava a quem lhes ceifou a vida.

Hoje cumpriu-se a homenagem às suas memórias e lembrei-me do dia 4 de Novembro desse ano de 1980, em que chorei a sua morte, de Sá Carneiro, como se de um parente próximo se tratasse.

Durante todos estes anos fui ouvindo diversas opiniões sobre o significado de Sá Carneiro, o significado da sua vida para todos nós e da sua morte também.

Algumas vezes me diziam que ele não nos deu experiência política suficiente para que lhe pudessemos reconhecer as qualidades. Foi isso precisamente o sentido de oportunidade que sentirm os seus assassinos...

O Tribunal da Relação publicou a prescrição do processo aberto pelos familiares das vítimas da queda do avião de Amaro da Costa, Sá Carneiro, Snu Abecassis e Patrício Gouveia.

Triste justiça esta... melhor que vergonha de Justiça temos, por mais esta estupidez, e mais esta injustiça.

O último inquérito, alicerçado em relatórios de técnicos portugueses, ingleses e espanhóis, havia sido unânime em que se tratou de atentado e não de acidente, confirmando, assim as conclusões de todos os anteriores inquéritos e investigações.

Como pode uma coisa destas prescrever???

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Parece normal

Leituras recomendadas

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz