This Day, or ..One Day

Vi um vídeo e pensei...mais um. Mas não. É mais um, de facto, a tentar demonstrar que a felicidade é, afinal, coisa fácil. Já vi tantos assim, e, por vezes, apetece-me não ver mais deste kind of stuff...

Parece fácil. Olharmos à volta e vermos, com mais atenção, olhar dedicado, atento ao pormenor das coisas mais triviais e que ali estão. todos os dias. O Sol, claro. E isso é verdade, o Sol intervém nas nossas vidas e dá-nos um ânimo com o qual nem parecíamos ter acordado. Mas chega? Não.

Mas há tanta coisa, dizem estes vídeos. As cores da natureza, na flores, nas árvores, nos animais, no Mar. Os aromas, da mesma natureza, que ainda ali está, se nós cá ainda cá...estivermos. Também é verdade? Sim. Mas não chega.

Os sorrisos das pessoas e as suas caras de pouca disposição, de indolência, da preguiça dos portugueses que desprezam o pequeno-almoço e os benefícios de começar o dia com um copo de água (essencial para o despertar e re-início do funcionamento cerebral), uma refeição energética e saudável, onde se combinem hidrato de carbono (poucos, ou nenhum, se houver excesso de peso), fruta ou sumo de fruta e café.

A lembrança, ou o convívio, que não são a mesma coisa, com os nossos mais queridos, filhos, amigos, familiares e a pessoa que amamos, ou queremos vir a amar ou...

O regresso a um trabalho, emprego, ocupação, chamem-lhe o que quiserem, num tempo em que a satisfação profissional, e menos ainda a realização e sucesso, é tantas vezes um sonho do passado ou uma miragem. Mas ainda um facto, para muitos de nós.

Mas será ainda suficiente?

Do que precisa um ser humano para se sentir Cheio? Feliz, completo e, aí sim, olhar esse sol com outra vontade, tenha ele maiúscula ou minúscula na vida de cada qual, e talvez até passar a ver flores onde antes nem as tinha notado?

Para muito, dinheiro. Sucesso. E talvez chegue. E nenhum vídeo fala disso, pois é politicamente incorrecto.

Para muitos mais, saber que tem alguém na vida que o completa, que o compreende (desculpem o "masculino", não é intencional, mas é escrito de rompante por ....um homem), que o deixa de sorriso rasgado quando chega a casa, ou quando espera alguém. Esse alguém. Ou, se já tem essa pessoa, lhe falta a restante disposição na vida, como sentir-se útil, saber-se parte de uma coisa, para a qual contribui e não recear nem o presente, nem o futuro, quanto a contas e despesas, e até...essa extravagância anti-Troika e anti-Passos/Maria Albuquerque...fazer um fim de semana, ou férias, sozinho e num grande sossego, ou bem acompanhado e numa partilha formidável.

E, assim, nada nestes vídeos, todos muito lindos e estimulantes, que nos dizem verdades simples, que até sabemos, nos diz o essencial. Ou diz?

E quem não pode ter esse dia, porque tem os travões que referi? Os travões que o impedem, por não ter a ocupação e utilidade para a qual se sente mais do que habilitado, ou a pessoa que sempre sonhou, e não conheceu, ou já conheceu e não tem, ou já tem e não consegue, por causa do resto dos seus dias...sai apenas à rua e sorri às flores, ao sol e ao sorriso dos outros e ...regressa a casa completo e feliz?

Pois...Maybe one day!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Leituras recomendadas

Parece normal

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz