28.2.11

"Não dá Mais!!!!"

Hoje ao ouvir um telespectador num programa de informação na TV, aliás bem esclarecido, pela forma como falou e pelo que disse, retive o seu grito de desânimo e desespero: Isto não dá mais! Mudem de governo, este não consegue fazer mais nada, já o demonstrou. Agora falam em mais austeridade, devido ao aumento do preço do petróleo. Venham outros!"

De facto (e um dia destes publico aqui o impacte dos impostos sobre os portugueses, os que mais pagam no MUNDO!) n\ao se aguenta mais. Vem o palerma incompetente e burro do Primeiro ministro, sorridente, como uma criança que parte uma jarra e vem a sorrir dizê-lo, como que para amenizar a punição, 'que esta crise financeira nada tem a ver com o endividamento do Estado, mas sim com a falta de regulação (...) ou seja é preciso mais Estado e mais regulação'. Este idiota sabe o quê de finanças, de economia, de seja lá o que for? Ponham-no na rua! Ou temos de o por nós!

Pagamos mais:

  • imposto sobre combustíveis
  • imposto automóvel
  • IVA
  • IRS
  • IRC
  • electricidade
  • gás
  • imposto sobre imóveis
  • impostos/taxas escondidos sobre outras energias e sabe-se lá o quê, para amigos das energias 'alternativas'
  • segurança social

...e outras taxas e impostos que, oportunamente divulgarei. Ou seja, oh Sócrates garoto idiota! Pagamos sempre mais do que Qualquer país europeu! Sempre mais!! E, em muitos casos, bem mais! E para apenas...sustentar o Estado! O Estado, que o PM miserável que temos construiu, com a desorçamentação que elaborou, com Entidades Reguladoras, Institutos, Fundações, Grupos de Estudo, Comissões, Tudo...o que Não está no Orçamento

. Mas o académicozito do Ministro das Finanças pretende aumentar mais impostos...apenas!!! Para pagar o Estado que CONSOME MAIS DE 50% DO PIB!!!!

RUA com este Governo!

25.2.11

Guilherme d’Oliveira Martins anuncia reforço da fiscalização das contas públicas (Diario de Noticias, 25 Fev 2011, Page 32)


Guilherme d’Oliveira Martins anuncia reforço da fiscalização das contas públicas
RUTE COELHO e MARINA MARQUES
Diario de Noticias
25 Fev 2011

O Estado a Que o Estado Chegou, título da obra de grande investigação do Diário de Notícias, deixou o presidente do Tribunal de Contas ( TC) preocupado e decidido a apertar o controlo das contas públicas. Guilherme d’Oliveira Martins, que assina o...leia mais...
Tech Tags:


Pela notícia não consegui saber se o livro já está disponível e por que canais. é muito comum, aliás, nos nossos jornais, não se saber uma notícia onde aconteceu, ou quando vai acontecer um evento. Enfim...O DN está de parabéns pelo lançamento do livro, mesmo sem ainda o ter visto. A frase sobre o 'estado social é uma conquista' do Director do Vosso jornal é louvável, é uma opinião, é uma visão...e um desejo. Ainda não há esse verdadeiro Estado Social. Não há mesmo. Há um Estado que foi substituindo, ou ocupando um espaço, que nem sempre lhe deveria pertencer, por mau serviço prestado. Mas é 
óbvio que se deseja, num país tão deprimido, um Estado Social. Se nos imaginássemos numa Suíça, talvez a preocupação por esse 'Social' fosse menos premente. O Estado Social é, para mim, mais do que 'uma conquista', porque essas 'conquistas' têm uma quota parte muito grande no estado a que chegou o Estado... é uma 'possibilidade'. Como se costuma dizer 'é o que se conseguiu'... Noutra linha de pensamento, duvido que Oliveira Martins (com muitas culpas também neste estado de coisas, diga-se, e com uma visão vertical do Estado e da Política, como Sócrates, este sim de forma mais exagerada e abusiva, uma visão de quem pensa, e pensa melhor, por nós) consiga grandes resultados. Terá pela frente Sócrates, Pedro Silva Pereira e os seus 'amigos'. Muita resistência, por parte de quem vive do Estado e não abdicará. Esse é o outro lado da moeda, aliás, do Estado Social, principalmente quando mal 'fundado'.

18.2.11

O Insuportável Mentiroso e Desleal

Mentiroso como homem, desleal como português. Um homem em quem, de facto, não se pode confiar.

Numa cerimónia mediática, para 'lançar' o início da obra da barragem de Foz Tua, mais uma da propaganda a que nos habituou, o Mentiroso e desleal do costume, Sócrates afirmou que a obra era polémica, mas que o 'erro em Portugal é se é polémica não se faz", numa alusão ao PSD, quando este esteve no Governo.

Só que a 'polémica' foi gerada pelo PS e por ele mesmo, Sócrates o sem nível. É política do mais baixo nível, como se esperava e espera desta criatura falsa, sem escrúpulos ou formação humana básica. Ele, garotinho do seu melhor, gerou a polémica no passado e vem agora fazer o mesmo, com os planos do PSD, como tantas e tantas obras que este cínico iniciou. Com base em planos e ideias de outros, e nem uma dele, ou de um giverno PS. Nenhuma auto-estrada foi construída com base em estudos e em ideias de um governo Ps da era Guterres-Sócrates. Nem uma! E ainda assim não deviam ter sido construídas nem metade delas.

Mas este país lançado numa recessão, que já se previa, e eu aqui mencionei, insiste na obra mais ridícula e desnecessária, e a mais cara de todas: o TGV. Um país falido, porque totalmente empenhado e dependente de recursos financeiros externos, insiste numa obra que não terá nenhuma utilidade e só serve para o engradecimento de uma criatura que nada de útil fez na sua vida nem nada deu ao seu país, tal como lhe competia, como governante (autoritário e anti-democrárico, embora).

O país tem uma forma de lhe 'agradecer' este abuso de poder absoluto e narcísisico: expulsá-lo e ostracizá-lo. O TGV provavelmente nunca será construído, ou sê-lo-á daqui a muitos anos, mas ficará na memória de todos como a inútil obra que um homem arrogante e insuportável, teimou em fazer, porque tinha a noção de um dia vir a ser odiado, tanto como Salazar, e meteu-se-lhe naquela cabeça burra que esta fantasia de parecer fazer coisas, se mascara com coisas destas, inúteis e financeiramente incomportáveis.

17.2.11

Desinformação e difamação socialistas

Num tempo em que Sócrates usa a vitimização para ganhar votos e, em simultâneo, elabora campanhas, que Pedro Silva Pereira, o sonsinho de serviço, adora orquestrar, vale a pena dar mais atenção a coisas destas.

15.2.11

Ser Livre ou ser Refém de pensamento de outros

Há muito que alguns Partidos se entregaram ao esvaziamento das ideias. Ao apagamento das opiniões. E os militantes, de base, ou com funções e responsabilidades, têm-se entregado à sua anulação. Voluntariamente ou não, este processo tem, gradualmente, mas com muito mais intensidade com esta direcção do Partido Socialista, conduzido a este desinteresse dos portugueses, ao processo de crescimento constante da mediocridade, com a triste consequência de nos virmos a braços com impasses e crises de natureza política e governativa.

No PS, o medíocre e inculto, atroz ditador, Sócrates, o mais triste e ridículo de todos os políticos que nos surgiram em tempo de Democracia, conduziu à transformação de um Partido com pergaminho de democrata e de gente com ideias válidas, num clube. Um clube onde se diz que o melhor é nem pensar. Melhor é ter quem 'pense por nós'. Esta, a ideia mais confrangedora para quem se diz democrata e ter conhecido a Ditadura de Salazar. Esta a ideia e a atitude de auto-resignação, mas mais, de auto-anulação que só levará ao empobrecimento social, de que muito gabamos outros países, do seu oposto.

Mas este problema, este Dilema, não atingiu apenas o PS, embora seja mais grave, mais intenso e profundo nesse Partido. O PSD tem estruturas que sofrem do mesmo mal, embora não seja o caso desta Direcção Nacional actual.

O PCP obviamente, sofre deste mal desde sempre. Está na sua génese e natureza. Por isso mesmo é muitíssimo pouco útil a uma Democracia.

Em teoria o Bloco de Esquerda não devia ter entrado por essa transfiguração que levará o PS a uma crise interna profunda, muito proximamente, por opção própria. Mas o Bloco tem desde há muito, com excepção, talvez, dos seus primeiros tempos, apresentado a mesma atitude. Uma anulação das ideias e das pessoas. Um apagamento permanente de quem por si mesmo tenha a veleidade de querer pensar e agir.

O que diz Louçã é brilhante, inteligente e fundamental. Sempre. Tal como Sócrates. Têm bem mais em comum do que querem deixar crer. Com a diferença básica, mas ainda importante, de Louçã ter formação. Formação académica superior. Que Sócrates não tem absolutamente nenhuma.

O inefável, ridículo e 'inteligente' PM que (ainda) temos

Sócrates continua as suas propagandas. Ridículas. Hoje foram os 4,5 milhões de Euros para um programa de reabilitação de teatros. Espantoso. Menos do que as despesas do Presidente da AR, ou os aumentos dos seus assessores políticos.

Um homem de 'cultura' como todos os socialistas. Nem se questione. A cultura são eles e eles são a cultura. A começar pela Ministra da Educação que ainda tem esperança de vir a aprender a escrever. Ou a da Cultura, que ainda pensa conseguir saber alguma coisinha de...música (do resto não...it's too much for that futile..)

Mais uma ridicularia do PM. Tão inteligente...

O Bloco da esquerda pueril

Fútil. Pueril. Nem engraçado. Nem divertido. Apenas...boring!

O Bloco de Esquerda, o Movimento que nunca quer ser nada, mas como putos-guerrilas só pretendem 'chatear' e, claro, ter uns tachinhos, à nossa custa.

O Bloco quer apresentar uma Moção de Censura a 10 de Março. Uma Moção de que todos se riem. Só para, à boa maneira de Sócrates, dizerem que 'fazem as coisas'. Fazer, por fazer. Sem consequências. Como Sócrates com as suas conhecidas 'check-lists'. Fazer, apenas para dizer que se fez. Não para ter conteúdo, ou significado. Um fazer vazio.

Mas são assim os tais 'esquerdas' que se dizem melhor do que os outros. E facilmente se conclui como são ridículos. E fúteis. Inúteis. É sobre esta gente que alguns PS's estão preocupados quando se aventa a possibilidade da redução de deputados na AR.

Então o Bloco vai avançar com uma Moção de censura. Mas já sabia que qualquer Moção de Censura na AR, só tem valor se contar com o apoio do PSD. De resto, serve apenas, para o mesmo que qualquer outro discurso ou prelecção e mais nada. Em vez de tentar arranjar apoios para a sua Moção, sobre um Governo que diz ser responsável pela precariedade da situação dos 'trabalhadores' (sim por que, tal como o PCP, o Bloco só 'trabalha' para os...trabalhadores. Nunca, pois, poderia ser Governo, ou excluiria os que não sendo trabalhadores, contam para a mudança da sociedade e avanço social e económico, a classe média, e a classe mais alta. Às quais pertencem os deputados do Bloco e do PCP), o BE argumenta e sacode o PCP e o PSD. Argumenta e vocifera os seus odiozinhos de estimação, 'contra a direita' (que só a 'esquerda' parece saber o que é) e contra os revisionistas do PCP.

Assim, a inteligência ( e dos intelectuais! os únicos e autênticos intelectuais, que na 'direita' não os há) do BE se comprova!

Direcção do PS com medo das opiniões dos militantes

A Democracia, que o PS, na pessoa de Mário Soares, e outros do seu tempo, se gabam de serem construtores e baluartes, não deve, segundo a actual direcção do PS, cega seguidora do Chefe Sócrates e das suas ideias totalitárias, de pensamento único, existir dentro do Partido-clube. Pensar pela sua própria cabeça é um risco muito elevado. Ninguém pensa melhor do que o Timoneiro, o Iluminado, Sócrates (e tem-se visto...as contas nacionais...ah! Mas há o...Magalhães, essa merda de equipamento com que se enganam crianças e pais, e para nada serve. Uma 'descoberta' da era Sócrates...o pior computador (!?) do mundo...


Este 'clube', suposta, mas falsamente de 'esquerda', actualmente um grupelho de incompetentes, sem formação, que se tem entretido em desconstruir o país, pretende fazer-se baluarte de uma Democracia que não pratica.


Não fosse já o caos económico, financeiro e social que o 'clube', ou sociedade mafiosa, grupelho dentro de um Partido ainda com autênticas raízes democráticas, agora ainda há este verdadeiro atentado à democracia e à democraticidade.


Mas parece que ainda não é desta que os militantes do PS se dão conta da transformação do seu Partido em 'clube' de meia-dúzia, assim tornado pelo ancestral medo de uma alternativa democrática, por parte de uma grande maioria de militantes de base, que permitiram a instalação no poder do seu Partido deste grupo de mafiosos corruptos e mentirosos, parece...que não será desta vez que correm com esta camada inferior da nossa sociedade, do seu Partido. E é o país que sempre perde com estas coisas.





Diário de Notícias
15 Fev 2011

14.2.11

O Clube

Partido Socialista, um Clube. Foi em tempos um Partido político. Mas já só é um clube. Nada de menos, ou de mais. Apenas, um clube não faz política e não tem 'carta' para governar.

Um clube, porque assim é entendido pelos 'adeptos'. Já não simpatizantes, ou filiados políticos. Apenas... adeptos. Porque... defendem o seu grupinho, minoritário, se não nos votos, se não nos 'simpatizantes', no que de menor, bem menor e baixo, defendem. Um clube, que como nos clubes normais, se defende, há que defender, há sempre quem o defenda e ...ao chefe! aconteça o que acontecer.

E nisto reside a maior estupidez e obscurantismo deste Partido-Clube Socialista. Já não tem vida ideológica, não há ideias distintas ou opiniões divergentes. O chefe diz tudo certo e tem sempre razão. Por isso..os dos outros clubes, desculpem, partidos, estão sempre, mas sempre errados. Mesmo que...

O país já não tenha futuro, dada a estupidez do chefe do PS. Da sua ignorância, inferioridade, arrogância, narcisismo, totalitarismo, provincianismo e...insuportável incompetência. Tudo vale mais...do que o país.

O chefe, esse idiota de nome Sócrates, está acima de tudo e todos, mesmo...de todos nós!

6.2.11

Deolinda - Parva que Sou, Coliseu do Porto. Assim damos a volta a isto!


Sou da geração sem remuneração
e não me incomoda esta condição.
Que parva que eu sou!


Porque isto está mal e vai continuar,
já é uma sorte eu poder estagiar.
Que parva que eu sou!
E fico a pensar,
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar.

Sou da geração ‘casinha dos pais’,
se já tenho tudo, pra quê querer mais?
Que parva que eu sou!
Filhos, marido, estou sempre a adiar
e ainda me falta o carro pagar,
Que parva que eu sou!
E fico a pensar
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar.

Sou da geração ‘vou queixar-me pra quê?’
Há alguém bem pior do que eu na TV.
Que parva que eu sou!
Sou da geração ‘eu já não posso mais!’
que esta situação dura há tempo demais
E parva não sou!
E fico a pensar,
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar


Um hino? Talvez...veremos. Certo é que a canção que surpreendeu o público no Coliseu do Porto, é uma das reacção públicas mais visíveis e, com algum impacte, desta amorfa geração que ela mesma 'descreve'. Uma geração que, conjuntamente com os desempregados de meia idade, são as vítimas claras do 'reformismo' dos últimos anos...


Vítimas de desemprego e sub-emprego. Vítimas de uma 'aplaudida', míserável reforma da Segurança Social que se diz ter permitido a subsistência do Sistema de Pensões e da Segurança Social, quando se tenta, pelos meios de sempre, da propaganda do Governo PS, escamotear que, para que os actuais reformados ou a entrar proximamente na reforma, tenham uma garantia de a receber a 100% ou próximo disso, os do futuro sem futuro, receberão, no máximo, 50% do que ganharem nos seus últimos anos de actividade profissional. E essa remuneração já será, por si mesma, bem menor e degradante do que hoje se pode receber pelas mesmas funções.


Em poucas palavras: a geração 'parva', com excelente formação, mais do que os seus pais e avós será mal paga, e mal ou nada reconhecida. Fruto do egoísmo das anteriores gerações. A que está agora no poder, público, ou político e também empresarial. A insistência e teimosia de Sócrates em obras públicas desnecessárias, como o TGV e Auto-estradas desertas, bem como os custos das centenas de instituições por Sócrates criadas, é a maior responsável por esta situação: o roubo do Futuro dos nossos filhos e netos. E isto...só agora começa a despertar os da geração 'parva', que de parva nada tem.

Espero que despertem e digam ao que vêm...

Têm todo o direito a discutir e a lutar pela mudança do seu 'destino'. E terão de se fazer ouvir!

A Resistência à Mudança. A Vergonha deste PS

Sempre houve, em todas as épocas, países e regimes, resistências às mudanças. E sempre houve uma demagogia própria de populistas, clientes dos Estados e da (pouca ou vasta) riqueza das nações, no tocante a identificar como mudança aquilo que, afinal, era um regresso, anacrónico e retrógrado, encapotado, a um passado impossível de se recuperar e mais degradante do que o presente, ou um futuro qualquer.

Sócrates anda a afirmar que a 'agenda da direita, do PSD e, pasme-se, do FMI, é privatizar tudo, acabar com as empresas públicas e (hilariente, mas triste por o ter afirmado, pois é um sinal de uma pré-demência política em mistura perigosa com uma arrogância mal educada de garoto sem vergonha. Sem mais qualquer vergonha). Ora...o PSD quer fechar empresas públicas...mas o Governo quer encerrar linhas de caminho de ferro, tal como já fechou (o governo de Sócrates, que é do PS, e não do PSD, juro!) centros de saúde, escolas, serviços públicos.

O Demagogo que se fez eleger com esta verve suja de criatura sem o mínimo de decoro, por que hoje diz, o que amanhã desdiz, por que hoje diz dos outros o que ele próprio fez e faz, porque abusou do Estado e dos seus recursos e nos deixou ...SEM FUTURO, insiste nesta tónica de agressividade barata, de feira, de rua.

Mas deixemo-lo, que não nos merece muito mais atenção. Ele fechou uma Universidade para camuflar uma formação que nunca fez e não possui e agora pretende criar uma Ordem (dos engenheiros técnicos) para se sentir engenheiro, coisa que para a qual nunca possuiu capacidades básicas e mínimas.

O que conta é que as tais empresas que os 'liberais extremistas e furiosos' pretendem fechar, são o covil dos 'boys' de Sócrates que até Mário Soares tem denunciado. São filhos, sobrinhos, primos e amigos de amigos de boys do PS, amigos, sempre de Sócrates e, não me iria esquecer do medíocre 'sombra do chefe', de Pedro Silva Pereira. E conta que o facto de esses boys andarem a ter boa vida, implica com o futuro dos nossos filhos e netos, dos que agora têm menos de vinte anos e dos que já estão a entrar no mercado de emprego. E, bem mais grave, pelo que implica de ausência de futuro, dos que têm entre 40, 45 e 55 anos. E não são, por essa razão, a escória marginal desta sociedade, mas bem ao invés, e com frequência, a elite mais preparada, rejeitada pelas condições que o mercado de trabalho, sob a batuta de empregos temporários de um senhor do PS, Vitalino Canas, o homem-emprego-temporário, impondo-se remunerações que excluem os que nasceram entre os anos 50 e os anos 70.

O futuro é assim determinado pela manutenção artificial e custosa de 'empresas' públicas, que nada têm de empresas e para nada servem, e que Sócrates (ufaaa, lá tenho eu de voltar à criatura!) e por uma dívida que cresceu mais nos últimos cinco anos (com o garoto mal educado) de cerca de 70 mil milhões para mais de 120 mil milhões e representa, entre publico e privado cerca de três vezes o nosso PIB, o que mal ou bem produzimos.

Este é o futuro, venha ou não o Fundo Europeu e o FMI. Caia ou não Sócrates. Ganhe quem ganhar as próximas legislativas. Reduza-se ou não o número de deputados inúteis e burros, tanto quanto de clientes dos Partidos. Desapareçam ou não os privilégios dos boys dos diversos Partidos, o futuro só existe para os que, tendo mais de 50 anos, ou melhor, ainda, 60, são os autênticos responsáveis por eliminarem o futuro dos mais novos. E dos que sendo já 'velhos' de 45 ou 55, são os esquecidos da sociedade.

Um futuro com o qual a demagogia do actual PS não tem de brincar à má fila, e arrogantemente usa de estúpidos comentários como os de liberalismo extremista ou selvagem, porque enganar as pessoas não as fará ter vida melhor, ou sequer um bocadito de futuro!

Buddha Eden Garden, Quinta dos Loridos, Bombarral