Chega!


Pois é. Verdade! Nos EUA um comentador deixou o cérebro derramar tudo o que lhe tem incomodado, deixou-se de meias e peias e falou bem alto! Foi um momento que pode vir a ser recordado dentro de algum tempo...
Indignado com Democratas e Republicanos, com o Congresso que apelidou de 'vendido', com o sistema financeiro, não se calou enquanto não deitou para fora toda uma raiva que lhe parecia contida, por anos e anos de desilusões.
Mas mesmo assim não chega. Pois só será suficiente quando toda a gente ouvir. Ouvir a Verdade, já que ela existe. E a Verdade não está em 'camisolas' políticas, escolhas partidárias, e A, B, ou C, nem de AB, BC ou AC...Nem está em Esquerdas ou Direitas, que nem existiram um só segundo na História da Humanidade. Sim, é preciso, por todo o lado, nos países onde já se pensa, ou se começa a pensar, Repensar! Pensar de novo. Como é possível que se mude de um Partido a outro, nos USA, em Portugal, no reino Unido, em França, Alemanha ou Espanha e tudo fique na mesma, para a generalidade de todos nós? Porque...o sistema 'is not working anymore!!!'. Não é uma questão de por em causa Capitalismos, socialismos, ou comunismos, se alguma vez existiram num único país. Em estado 'puro' ao menos e não adulterado por interresses financeiros, bancários, para explicitar melhor, empresariais, monopólios, etc. É uma questão de pensar de Novo a Democracia. E a Economia associadas a estas Democracias. Certo é que assim não funciona. Em Espanha o PSOE será derrotado, com grande probabilidade, mas ninguém acredita, fora de Espanha que alguma coisa mude e melhor, que se veja. Em França, a troca pode ser inversa, saindo a 'direita' (para quem gosta destas merdas estúpidas de classificações de 1789) e entrando uma suposta 'esquerda'. Na Alemanha, processo idèntico pode seguir-se. Depois, pode vir Itália e mais adiante, Reino Unido. Nos países de leste, parece que as coisas andam mais calmas, que é o mesmo que dizer que...ainda nem estão a 'pensar' muito ou que nem sentem muito ainda a Democracia, tal como necessitamos dela cada dia mais. E que irá mudar com todas estas alterações de espectro político pela Europa fora? Provavelmente NADA! Serve, este sistema? Sabemos que não nos serve qualquer regime de tarados extremistas, comunistas ou fascistas e outros quejandos, que nos retiram o direito de pensar, expressar, exprimir, opiniar, viver a nossa vida comum, participando (coisa, aliás, que por cá ainda muito pouco se faz). E não admitiremos regressos a ditaduras com falsas promessas de futuro e organização, que nos soneguem a Liberdade! Mas a Democracia precisa, por todo o lado, e as organizações dos estados, os sistemas financeiros, económicos, judiciais e educativos, de ser Repensada e Reformulada! Urgente! Isto sim, é 'Emergência (ele quereria dizer Urgência?) Nacional. Já não servem as greves e protestos vazios se sem mais nada que não seja por em causa tudo e todos os sistemas, de saúde, educativos etc. E também não parece chegar esta receita de Austeridade que nos vai matar silenciosamente. Muitos de nós nunca mais teremos emprego, primeiro pelo que fez um certo Governo anterior (no caso, o de Sócrates que nos lixou o país todinho!), depois por esta mania das 'troikas' e dos 'investidores', que pouco a pouco já não terão mais nada onde ir buscar nem investimento nem juros. Eles ainda não viram este filme...parece...


Não vamos lá com manifestações e indignações, nem com austeridades ou com investimentos dos Estados (pseudo Keynes). Não estamos a ir a lado algum! Temos pois de 'pegar este assunto' como o mais urgente e decisivo das nossas vidas, pois ele é mesmo isso. Temos nós, os que vivemos e sofremos com o que todos fizeram, nós, mas talvez outros mais do que nós, os que nos têm governado, de pensar, Repensar e actuar. E o tempo escapasse-nos pelos dedos...

Como o comentador na Tv americana, que hoje está a ser divulgado por todo o lado, muitos de nós, se não a generalidade há muito que perdeu as crenças, fés, e outras 'magias intelectuais' que nos têm tornado carneirinhos de um sistema que serve a alguém, mas não serve quase a ninguém, mas nada fazemos, ordeiramente. 

Uns falam em partir tudo, em 'esqueiqueirar' tudo. Outros, que nada se pode fazer, se não entrar e seguir o sistema. Mas ninguém sabe ao certo se alguma coisa irá funcionar, e todos temos alguém conhecido, com pouco mais de 40 anos, ou pouco acima dos 50 que sabe, e se sabe, nunca mais ir ter emprego. Quando se preconizava trabalhar-se mais anos, um quinto da população pode ter que ficar inactivo até...herdar de alguém, ou esperar que um banco lhe dê um empurrão para criar o seu próprio emprego.

Hoje, soube-se de um prémio literário, do grupo Leya, no valor de cem mil euros, atribuido a um engenheiro de 38 anos, há dois anos desempregado. Dois anos que as empresas e sociedade dispensaram um homem e mais uns tantos milhares como ele, que podia ser uma mais valia, num país em que se sabe e preconiza a formação e a Universidade. Dois anos de frustração, agora interrompidos para este homem, que se pode tornar escritor, num país onde não se lê, e agora nem dinheiro há para livros e leituras. Dois anos que podem ser o resto da vida para muita gente. Porque nada disto funciona e se, um dia a Troika e austeridade resultar, já será tarde demais para muita gente válida, considerada desprezível por empresas (tantas delas sem qualquer valor que se veja mas com ordenados de dezenas de milhares para administradores sem nível ou valor).

Ainda que todo o nosso esforço dê resultados ao país, pelas reformas a que obriga, não chegará a ser alguma coisa para tanta e tanta gente de imenso valor, que este sistema e tantos Governos desprezaram e jogaram fora.

Chega! Chega, pois!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Parece normal

Leituras recomendadas

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz