A clarificação.

Será que vamos, finalmente, saber a verdade, sobre as Contas Nacionais? Das contas que são Nossas?

Pouco a pouco, mesmo com os esforços da Central de Propaganda e a Polícia política do Secretário para a Segurança Interna, mais o controlo da Comunicação Social, vamos sabendo mais sobre a Verdade.

O acordo com o FMI/BCE/FEEF quase nada tem a ver com o PEC4. O PEC 4, aliás, nunca foi preparado sequer. Foi anunciado em termos gerais, e apenas para a chantagem socialista, para forçar a queda do Governo, pois a Propaganda e estratégia maquiavélica e secreta, a agenda secreta do PS (que a tem e falou como se outros a tivessem, provando-se agora que Sócrates é que a tem, e insiste nela, teimosa e cegamente, desrespeitando o país na totalidade. Mesmo os que o apoiam, apenas por 'defesa da camisola' e por raivas não explicadas contra outros- há quem veja adversários, como inimigos, e sempre os haverá, mas essa circunstância deixa-os fora do adjectivo de democratas, sem apelo nem agravo). O PEC nunca foi para ir em frente. tal como nunca foi posto em prática nenhum PEC anterior, ou algum Orçamento feito pelo PS (e não apenas com Sócrates).

O maior desastre português é mesmo o PS. Já não nos restam dúvidas. Há umas semanas atrás ainda tive a esperança que homens inteligentes e ainda democratas, do PS, como Vitorino, Assis, Seguro e outros, tivessem a ousadia e o sentido de Estado, que já provaram não ter, para correrem com Sócrates e para darem sentido de Estado ao PS. Mas não aconteceu. Ainda. E já não vão a tempo das eleições.

Mas afinal vamos ter um pouco da clarificação da nossa situação. Vamos todos pagar mais impostos e ter reduções de benefícios. Os reformados vão ser todos atingidos e penalizados, uns dois vezes. Outros com os impostos, pois a penalização no IRS vai ser dura: vão perder a dedução específica. E vamos todos.

Vamos ter subida de preços na electricidade. Vamos ter mais IVA na electricidade, agora de 6%, dentro de meses talvez mesmo os 25% que se espera seja a nova taxa máxima de IVA.

Todos os agravamentos estão em linha, mas nada a ver com o PEC. Ou seja, o Governo não foi tido em conta. Em nada. Como se esperava, pois o Governo é o único inteiramente responsável por esta calamidade a que chegámos. E só o Governo.

Mas saberemos mais, muito mais, sobre as responsabilidades de Sócrates e do Governo. E mais sobre a desgraça das nossas contas.

Agora o PSD, única alternativa nas próximas eleições, ou se alguém preferir, o CDS (e Paulo Portas?! tão populista que tem sido?!) tem de aparecer em força, já que o tempo de silêncios terminou. E tem de responsabilizar, culpar, apontar o dedo, sem peias, sem hesitações, a quem é culpado: José Sócrates C. Pinto de Sousa, o falso (falso engenheiro, a quem chamam de engenheiro, ofendendo quem de facto o é. E isso não admito, pois o curso que fiz custou-me e aos meus pais, para que um mentiroso criminoso venha inventar um título que não tem!)

Força PSD, força CDS e toda a Oposição.

É imperativo afastar Sócrates da política de uma vez e para sempre!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Leituras recomendadas

Parece normal

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz