1.250.000 Euros?! por uma escultura, em Oeiras

Alguém consegue imaginar que esta escultura (escultura e projecto, ah! então está bem!) custou ao Município de Oeiras um milhão, duzentos e cinquenta mil euros (sim: 1.250.000,00 Euros!)?

Este é um exemplo apenas, um dos mais escandalosos, pelo valor, não pela estética da escultura, claro.

Mas os nossos municípios em grande parte são os responsáveis pela imensa divída pública, que duplicou em cinco anos (de cerca de 80 mil milhões para mais de 170 mil milhões), com concertos milionários (Santarém contratou José Carreras e pagou-lhe 263 mil euros, para um só concerto- provavelmente a pensar que Santarém era Zurich; Tony Carreira, nada comparável com nada, com Carreras, apesar da quasi semelhança do nome, amealhou mais de 600 mil euros. Caso para dizer...f...! 'Aquilo' ganhou assim tanto?? 'Porque cargas de água?', mas também Quim Barreiros: 248.000 euros; Mariza, enfim, ao menos é a Marisa, 240.000 Euros, Jorge Palma- tenham dó!, tem Uma música girae pouco mais- 174.000 Euros...etc).

Mas o grande problema pelo lado público, do nosso imenso 'buraco' da dívida, que é de 2,5 vezes o PIB, foram as Obras Públicas, como sempre se disse. E a dívida privada, famílias e empresas, também tem a ver com Imobiliário e Sector da Construção. Foram estradas e pontes hoje sem quase alguma utilização.

Mas a surpresa, apenas para alguns, apenas para os que ainda julgam serem os socialistas iguais aos outros na Governação e Gestão dos dinheiros públicos, é que em 2011, ano de forte contenção e de aperto e austeridade para todos, ou quase, as despesas de vários ministérios dispararam. Estes são números quase oficiais, mas reais, com a falha tão-só de pecarem por defeito.


"Depois de três Programas de Estabilidade e Crescimento (nome amaneirado por não corresponder nem a estabilidade, nem a crescimento, diga-se), sucessivos anúncios de corte na despesa e apelos à contenção orçamental, 2011 vai ser um ano de gastos recorde em várias despesas correntes dos ministérios. Publicidade, combustíveis e seminários são algumas das rubricas do Orçamento do Estado em que há aumentos de dotação. Os carros do Estado vão andar mais. As despesas com combustíveis vão subir 26,7% (mais 11,5 milhões de euros), apesar de se prever que o preço do petróleo aumente apenas 3,4% este ano (previsão oficial diga-se). Para este valor contribuem gastos do Ministério da Administração Interna (do arrogante incompetente ministro que promove pessoal tido por incompetente, numa ostensiva provocação a todos nós, após o falhanço evidente nas últimas eleições Presidenciais, do responsável directo pela organização das mesmas...agora promovido, em vez de despedido) -que tutela as polícias e, por isso, tem maior frota automóvel-, que também bate o recorde dos últimos sete anos (desde que há registos). São 17,3 milhões de euros previstos, mais cerca de sete milhões do que no ano passado.


Mas ao longo da previsão feita pelo Executivo, s~\ao sete os ministérios (agricultura, Saúde, Presidência, Economia e Ciência e Ensino Superior) que vão gastar mais neste capítulo (dos combustíveis)" (in, "O Estado a que o Estado chegou", Diário de Notícias, 2011. Uma publicação amiga do PS, diga-se...).

No total são mais 47,5 milhões em combustíveis ao serviço do Estado. Depois, são mais horas extraordinárias, para a Justiça, nomeadamente. Mais gastos em serviços de higiene e limpeza e em Publicidade (?!??). E qual o Ministério mais despesista? Finanças, pasme-se! (144.092.971.805 Euros. Leia-se: cento e quarenta e quatro mil milhões e uns 'trocados'. O dobro da ajuda do Fundo Europeu de Estabilização Financeira+FMI que aí vem!


Agora, venha lá o mentiroso do PM e o seu amiguinho Silva Pereira, mais o Teixeira dos Santos, dizer que a crise em que caímos nada tem a ver com o Governo. E que o PEC IV nada tem a ver com algum buraco ou incumprimento Orçamental, ou ainda que esta crise se deveu ao chumbo do PEC pela Oposição. (que eu saiba nenhum destes AUMENTOS de despesas foi de acordo com o PSD ou outro qualquer Partido!). Ou venham dizer que tudo isto é culpa 'dos mercados'. senhores!!! Vocês, em ano de contenção para a sociedade portuguesa, querem SUBIR as DESPESAS. Em três rubricas, fundamentalmente, que têm todas a ver com propaganda governamental, o mesmo é dizer, com preparação para Eleições, que foram bem programadas por Sócrates, como salta à vista! E tudo para...as perder, com uma derrota que os irá envergonhar?!

Que nojo de gente!

Comentários

Tiago Couto disse…
De volta aos anos 60!

Visita http://palavrasdechocolate.blogspot.com/2011/04/de-volta-aos-anos-60.html E descobre um pouco mais sobre os anos 60 em Portugal!

Mensagens populares deste blogue

Leituras recomendadas

Parece normal

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz