Ver o branco, no que é preto...

Tudo bem resumido, aqui.  Em poucas linha, o que eu havia pensado escrever sobre o homicídio selvagem de Carlos Castro. Muita gente, que se auto-intitula de 'berm formada', e se sente moralista, e com direito a tal epíteto, tem defendido que a morte de Carlos Castro ou não é uma coisa assim tão má, ou até pode ser boa (?!!!). Já é repetição e lapaliciano perguntar se a morte, por assassínio, violento ou não, de um ser humano...é coisa defensável.

Mas agora, vitimizar o 'jovem' por ter sido supostamente 'aliciado', com promessas de carreira lançada e garantida (mas no entretanto houve uma viagem que foi preparada, um voo transatlântico e um hotel, num quarto com cama de casal...) é tão mau como...ter-se oferecido, de saca-rolhas na mão, para 'assessora' o homicida na sua laboriosa tarefa de dispersar 'demónios' homossexuais.

Esta gente faz várias confusões. Ser homicida, praticar homicídio. Ser homossexual, ou não. Ser ser humano e merecer que a vida lhe frua, e não lhe seja roubada por um doido qualquer, com instintos assassinos e maldade que baste, a confirmar...nos próximos episódios.

Mas esta gente, que se ocupa nos últimos dias, e continuará, a comentar barbaridades, a defender o 'tadinho' do jovem. A demonizar Carlos Castro (mau feitio? É probido tê-lo? E tinha? Ser homossexual? É crime? Desgostas muita gente? Ohhh chatice. E alguém tem alguma a ver com o que cada um faz das suas opções e vida sexual? Porquê? Eu sou heterossexual convicto e satisfeito com a minha opção e condição. Devem os homossexuais enojar-se comigo e ...condenar-me. Talvez...assassinar-me??!!). Esta gente, não tem a mínima noção da mínima decência e bom senso. O bom senso de se ser gente. E Humano. Apenas.

E se participassem tanto na vida política, social, económica e até cultural da nossa sociedade, de todos nós...muita coisa seria bem diferente. E eles mesmos, os 'medievais' homofóbicos da net, também o seriam menos.

(inspirado em Crónicas das horas perdidas, blogue)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Parece normal

Leituras recomendadas

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz