Altruísmo - Egoísmo


Altruísmo. A preocupação com os outros. Quantas vezes se usa de um altruísmo? Somo altruístas? E em que extensão o somos? Até que ponto o somos numa relação sentimental? Quantas vezes assistimos...de outra pessoa em relação a terceiros?

Estas perguntas fazêmo-las ou nem sequer perdemos uns minutos no nosso dia, na nossa vida com elas? E o egoísmo?  Como funcionamos como egoístas? Ou pensamos todos que somos altruístas por ser um, julgamos, sentimento mais nobre e superior ao outro, mais pobre e inferior? Achamos mesmo que ser (mais) altruísta é mais 'bonito', elegante, mais humano do que ser egoísta? E, assim, colamo-nos à ideia de 'nos preocupar-nos mais com os outros do que connosco mesmos...

Errado, nada mais errado! Os dois 'sentimentos' e atitudes, posicionamentos pessoais, são precisamente 'equivalentes' no que toca à sua 'humanidade' e ao serem 'adequados' ou não. Qualquer pessoa tem atitudes e até pensamentos egoístas tal como altruístas, dependendo do momento, da situação, das circunstâncias e das pessoas a que dizem respeito. Uma coisa não é melhor ou pior do que a outra. Interessante é ver pessoas que dizem algo como  um amigo ou amiga dever 'cuidar de si', para 'melhor poder cuidar de outros' e depois negar sempre que se deve ser egoísta em qualquer momento ou situação. 

Mais ridículo, sim é o termo, é a insistência de que sentimentos de amor são de preocupação com o outro, são altruístas. Precisamente o seu contrário. Esse é exactamente o sentimento mais egoísta que se pode ter e viver. É um egoísmo a dois, se se quiser. Sendo os dois igualmente, ou aproximadamente, egoístas, o equívoco é o se verem como altruístas. Mas ninguém ama se não se sentir amado. E estamos a falar de amor, passional entre adultos, ou de amor paternal ou fraternal. Ou outra forma. E, aliás, se for amor paternal ou fraternal, já se começa a perceber melhor que, na realidade, só se ama, se nos soubermos amados. Não? E, também, por isto se pode inferir que o egoísmo não é um sentimento menos humano ou carinhoso, ou aceitável do que o seu oposto. Apenas a nossa raiz cultural e religiosa nos imprimiu estes preconceitos e juízos desproporcionados sobre cada um dos conceitos. 

Ou seja, quase precisamos de uma verdadeira revolução de conceitos e ...de sentimentos e atitudes. Seríamos todos mais saudáveis e autênticos e, até, respeitadores das atitudes dos outros. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Parece normal

Leituras recomendadas

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz