As Democracias são mais preguiçosas do que as pessoas


Qualquer dia destes a nossa triste Democracia (se o é, porque graças à arrogância aventureira desta criatura Sócrates que odeia o mundo e as pessoas...e se julga mais um ser especial, com a bênção dos deuses ou dos demónios. Tal como o julgaram Salazar, Hitler, Mussolini, Pinochet, Franco, Julius Ceaser. Mas ‘este’ pigmeu das ditaduras tem um diferença: uma cultura mais pobre do que uma pedra da calçada) tem tantos anos, quantos a ditadura de Salazar.

As Democracias parecem necessitar de mais anos do que as ditaduras, para se tornarem maduras, para se tornarem estáveis e incontestadas. E a nossa tem tudo menos o ser incontestada, como regime. São cada vez mais as pessoas que admitem o recurso a uma Revolução, no extremo ou a uma forte e, talvez violenta, contestação social, na expressão mais poética da nossa passiva e pobre forma de estar.

Hoje, comprado o jornal de Domingo, leio um ou dois títulos e regressa-me esta sensação tão cristalina e forte, quanto triste e pungente de não ter orgulho, mas quase uma vergonha, em viver em tão desgraçado país. 

Uma delas, seguramente publicada com estóico orgulho jornalístico, grassa que o PS, PSD  e CDU gastaram mais verbas do que as autorizadas, permitidas pela lei e, que por isso, os seus responsáveis financeiros se expõem agora a pena de prisão. Para rirmos de tamanha estupidez da Lei? Lei aprovada pelos mesmos que não a cumpriram?

Onde anda a inteligência e sabedoria do Estado e a justiça de uma Lei destas? Então não seria lógico e óbvio que os partidos ficassem sujeitos a dar contas de financiamentos privados e que os mesmos, dada prova de ilícito tráfico de influências , então se submetessem à mão pesada da Justiça? Limitar gastos de campanhas? Que miopia e falta de maturidade de uma Democracia… (mas ao ‘povo’ parece bem este tipo de mesquinho provincianismo, hipócrita como se vê, porque nem é cumprida a Lei, nem vai ninguém preso).

O Presidente da República, que publicamente apoiei considera mais importante a estabilidade governativa do que as nossas vidas…para quem sobra, dos divorciados, empresários falidos, licenciados de alta formação desempregados, escolas desacreditadas, impostos incobráveis, facturações de empresas incobráveis, freqeuentadores de depressões prolongadas e chorudas contas psiquiátricas, filhos quem nem sabem que irão de credºivel e profissionalmente garantido estudar, agricultores desrespeitados e descapitalizados, gestores incompetentes, país desacreditado…

Cavaco Silva toma partido do Governo mais incompetente e, pior, injusto, dos quase quarenta anos de irrealizada e insucedida Democracia, para apenas manter as coisas no pior e mais doloroso martírio nacional.

Sócrates lançava ontem, Domingo, a ideia, veremos com que verbas concretizável, de um novo Hospital de Braga. Sempre respeitável um novo Hospital. Mas aproveitava para dizer que o Governo esta a controlar a crise económico-financeira mundial, e que, dizia ele, na sua mais eloquente e conhecida demagogia, o Governo tomou medidas (que “só o Estado pode e tem capacidade para tomar”…sim endividando-se mais do que os 66 mil milhões de Euros, apenas seis vezes mais do que no tempo de Cavaco… e endividando-se onde??) não para ajudar banqueiros ou accionistas de bancos mas sim as pessoas e as suas poupanças. Quando em 2009 e já no primeiro trimestre os bancos despedirem quadros e ate de topo, logo se verá…e quando se confirmar, a bem de uma regra de verdade fundamental em economia moderna, se souber que Portugal já está em recessão desde Novembro…de 2008 e que nem em dois anos se verá livre da crise, vítima que é de uma política económica e financeira ruinosa, para as empresas claro…porque o tecido económico se destruiu, mais depressa com este Governo, do que em anos e anos de crescimento e expansão internacional de um China vergonhosa e decrépita, ou uma Índia onde diariamente as  mulheres são tratadas como bichos…(a maior Democracia do mundo, a propósito).

Um povo que não lava as mãos ao sair do WC não sei se entende a desgraça onde esta classe política medíocre nos enfiou. E não é só um Sócrates sem formação e mal educado e ignorante, mas também um Durão Barroso medíocre, um Sampaio vaidoso e incompetente, uma Manuela Ferreira Leite que ainda julga que os portugueses desempregados e com fome lhe agradecerão a honestidade, um Santana que nem a si de leva a sério, um Menezes que julga que fazer política é jogar as cartas com reformados e esticar o pescoço ao falar para os jornais a ver se lhe saem palavras mais doutas do que a estupidez que andou a vociferar, um Valentim Loureiro que todos sabem ser corrupto mas as justiça receia, um Jorge Coelho que nem uma banca de jornais sabe gerir mas é administrador de uma grande empresa de construção porque  Governo insiste em esbanjar o que não tem. Um Mário Soares a quem não avisam que não abrilhanta um passado já de si triste e duvidoso com rasgos de asneiras pueris, um Zapatero total e completamente imbecil no país campeão do desemprego e de quem ninguém conhece nem um produto – que não venha com resíduos de pesticidas, que nos matam com cancro todos os dias…- um Sarkozi que julga que a França o ama, através da inveja pela mulher Linda quem tem…

Democracia? Ou um jogo de pais e mães para crescidos?

Tenham dó, ou saiam do caminho que a Revolução pode vir a caminho, de mãos dadas com a fome, miséria e ignorância.

Democracia, com uma comunicação social controlada e censurada por um Governo? Com um processo de pedofilia que não avança e não consegue acusar ninguém - há vítimas sem violadores...

Façam como os brasileiros: sejam felizes por cima das cinzas da sociedade!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Leituras recomendadas

Parece normal

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz