The Eight



The Eight. Katherine Neville. Em Portugal a actividade editorial rege-se por critérios muito estranhos e díspares, em compararão com outros tantos países, desde logo os mais fortes neste mercado "das letras", como a Alemanha na frente e também o Reino Unido e a França. Em todos estes países, e ainda em Espanha os critérios dos editores não são apenas os que pautaram os lançamentos de livros como os de Dan Brown- um escritor entre o fraco e o mediano, mas com bons ingredientes de sucesso - ou a série de Harry Potter- que teve o condão de por muita gente miúda a ler. Mas em todos os países mencionados é impressionante a actividade das editoras, que publicam tudo, de bom e de mau, ou seja, para todos os gostos (que os há bons e maus...). E, assim, perde-se, em Portugal, ou chega-se sempre mais tarde, por vezes muito tarde, a oportunidade de ler livros bons, ou interessantes, ou de escritores de grande mérito, ou mesmo excelentes, escritores ou livros. Há uns anos, por altura da atribuição do prémio Nobel a Günter Grass, procurei um livro dele muito bom, "O Tambor", de 1956, já publicado há muitos anos, se não me equivoco, pelo Círculo de Leitores e outra editora, que não consigo precisar qual. Nessa altura, como em qualquer ocasião de atribuição de prémios literários importantes (Nobel, Man Booker, National Book Award, Pulitzer, Planeta, etc.) teria sido boa oportunidade reeditar os livros todos de Grass. Mas tal não sucedeu e enviei um email para várias editoras, lembrando, ao qual nenhuma me respondeu... E ainda hoje esse livro de Grass não voltou a aparecer em português. Tal como muitos outros, clássicos da nossa excelente literatura portuguesa, aliás, há tanto esgotados. Hoje venho aqui referir um outro livro, The Eight, de Katherine Neville, do qual me falaram em Espanha e de qual autora já há um outro publicado em português, pelas edições 70, "o Círculo Mágico". Os títulos dos livros de Neville podem não ser os melhores, podem entrar um pouco, ou muito, por essa moda ou exagerada tendência actual de escrever, e publicar, sobre sociedades secretas, casos insólitos, escândalos... mas asseguro-lhes que The Eight é um bom livro, na senda de "A sombra do vento" de Carlos Ruiz Zafón (este talvez mais literatura, de mais qualidade). The Eight � um bom livro para as férias, mas � muito superior aos Dan Browns (que já li também, mesmo antes de publicados por cá). The Eight só está acessível em Inglês, por enquanto mas vale a pena aventurarmo-nos por ele dentro e fazer do tempo de férias algo mais estimulante também, pelo menos com aquela vontade de andar sempre com o livro, de o levar para todo o lado, de sentir um impulso para chegar � noite e nos deitarmos a ler até chegar o "ardume" aos olhos... The Eight � um livro inteligente, bem escrito (mesmo sem ser um Auster, ou McEwan, Cunningham, Clémente, Rushdie ou Coetzee, etc). Vale mais lê-lo do que a dez Dan Brown. É só ir a uma Fnac ou Buchholz, por exemplo. Boa leitura!
Posted by Picasa

Comentários

rui disse…
Desculpe, mas o «Oito» já está publicado em Portugal, pelo menos, desde 1999, ano em que o li. Penso, não tenho aqui o livro comigo, pela Europa-América e em dois volumes.

Cumprimentos,
Alexandre disse…
Sim, pela EA. Eu sei, aliás refiro isso no Post, acho eu. Mas não se consegue encontrar à venda. Como é frequente em Portugal com muitas edições. também a EA publicou o Tambor de Guenter Grass, mas nem o re-editou mesmo quando do Nobel...
Obrigado pelo seu comentário.

Mensagens populares deste blogue

Parece normal

Leituras recomendadas

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz