questões de aborto e aborto de questões, e questões de senso (bom, mau)

O título não pretende ser de mau gosto, mas apenas, digamos, o mais elucidativo...veremos.
O texto do blog (o vento lá fora)* é obviamente excelente e de bom senso. Já não é de bom senso esta coisa, melhor, esta mania, de nos separarmos todos uns aos outros. Eu sou de boas famílias, tu não és, eu sou de esquerda, tu és conservador, eu sou pelos bons costumes, eu sou pelas liberdades (ahn?? não somos todos? continuamos na mesma ideia de que a defesa da liberdade só pertence a uma parte da nossa sociedade? bahhh, ou melhor duuhhhh, como dizem os meus filhos) eu sou pelas tradições, porque isso é estar certo, tu és contra elas e, por isso, um anarca, etc.
Que falta de paciência! Haverá cada vez menons gente normal?
Agora é o aborto, embora nem isso seja verdade, como hoje, com BOM SENSO, bem explicou Santana Lopes. Mas tanta histeria para quê? Ainda não se cansaram de ser notícia? De fazer notícia? Por favor, cansem-se, antes que nos saturem a nós.
Agora é o aborto, ou o barco que dizem ser dele, para a semana será o quê? Uma casa que um ministro comprou e não pagou a Sisa completa? Ou um dos do processo Casa Pia afinal também foi responsável pelos incêndios do Verão, pois se devia estar na sua residência foi, contra tudo, ver quando chegava o barco do aborto, na casa do tal ministro que não pagou a Sisa e, por incúria, fumava num bosque (paisagem protegida onde se enquadra a tal 'casinha'- não a da Maria de Belém que todos sabem estar no Parque de Sintra- Cascais, essa não credo!- e 'prontos' deixou cair a beata (verdadeira, não daquelas da moral e bons costumes, defensoras das boas tradições, como touradas, etc...) lá se pegou fogo...
Ufaaa, que me faltou o fôlego.
Mas temos de continuar, pois isso é que são BOAS tradições. Continuar, a SER de ESQUERDA, que isso é que ser bom, ser Direita que isso é que ser de BOM TOM. Escolhamos, então todos os nossos clubes, como no futebol. Claro. Nunca ninguém me explicou o que é ser do Benfica ou do Porto, ou Sporting, se todos os anos ou em ciclos mais ou menos frequentes, os clubes mudam (quase) por completo e os qua lá estavam antes , já não estão mais.
Escolhamos então, como as crianças, que definem, e muito bem, que não gostam de ervilhas e até as ouvimos dizer, a algumas crianças grandes, eu nunca gostei de ervilhas, nem em pequenino(a)...
Escolhamos todos de vez, se somos defensores de uma boa, bela estóica valente e com orgulho tradição tauromática. E então se assim nos posicionarmos, teremos concumitantemente de ser contra o aborto, ou contra qualquer coisa que aborde o aborto (bela língua portuguesa, agora a sério) e não aborte o tema (estão a ver com o é fantástica a nossa língua, isso sim que devemos activamente defender, utilizando-a, em todo a sua vastidão? Pela Igreja, incondicionalmente, pelo profundo e crescente fosso entre os que mandam e os que são mandados (há gente que nasceu para uma coisa, e outros para outras, então não é lógico?) e outras coisas mais, de bom tom e famílias e tradições, uffff! Ah, e nunca seremos intelectuais, claro, claro...claro.
Ou se formos contra, por exemplo as touradas, então nãos e pode esperar outra coisa, que, obviamente ser de esquerda, contra as touradas, contra a Igreja (a romana, que das outras nem se fale!. E neste grupo seremos mesmo sempre intelectuais, mesmo que...estúpidos.
É isto. Não há nada mais de novo a acrescentar. Já está tudo feito, assim mesmo. Uns de um lado, outros, do outro, completamente do outro, totalmente.
É vermo-nos nas ruas todos os dias. Está na cara de cada um, uns são contra outros, contra esses que são contra (o que nem sempre é ser a favor). Então não é notório e evidente? Vê-se logo.
E continuemos a dar olhos e ouvidos aos nossos fabricantes de 'casos' e notícias, que não sempre os 'media' note-se.
Nada de novo, onde tanta gente insiste em ser 'velho' (não em termos etários, que isso é uma inevitabilidade respeitável)
Nada, ou muito pouco!



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Leituras recomendadas

Parece normal

Nenhum dia é suficiente para conter toda a luz